sobreviver ao desconsolo agudo

 Reservas encerradas
 
0
Categoria
cine conversas
Data
18-09-2019 21:30
Local
8000-327 Faro
Sede do CCF: Rua Dr. Francisco Sousa Vaz, n.º 28 A

Ciclo de cinema integrado no 'Mês de Prevenção do Suicídio' promovido pelo Centro Hospitalar e Universitário do Algarve - Unidade de Faro

Realização: Stephen Daldry / Argumento: David Hare, segundo o romance homónimo de Michael Cunningham / Fotografia: Seamus McGarvey  / Direcção / Artística: Maria Djurkovic / Montagem: Peter Boyle  / Música: Philip Glass, e excertos de Richard Strauss  / Figurinos: Ann Roth / Com: Nicole Kidman (Virgínia Woolf), Julianne Moore (Laura Brown), Meryl Streep (Clarissa Vaughan), Stephen Dillane (Leonard Woolf), Miranda Richardson (Vanessa Bell), George Loftus (Quentin Bell), Charley Ramm (Julian Bell), Sophie Wyburd (Angélica Bel), Lyndsay Marshall (Lottie Hope), Linda Bassett (Nelly Boxall), Christian Coulson (Ralph Partridge), Michael Culkin (médico), John C. Reilly (Dan Brown), Jack Rovello (Richie Brown), Toni Collette (Kitty Bralowe), Ed Harris (Richard Brown), Jeff Daniels (Louis Waters) / Origem: US / Ano: 2002 / Classificação etária: M/12

“As Horas” é a história de três mulheres à procura de vidas com mais sentido. Cada uma delas vive numa época e num local diferente, mas as suas vidas interligam-se por pequenos fios de seda, jogos de correspondências, que só se revelarão no final. Virginia Woolf (Nicole Kidman), num subúrbio de Londres no início dos anos 20, combate a loucura enquanto começa a escrever o seu primeiro grande romance: “Mrs. Dalloway”. Laura Brown (Julianne Moore) é uma dona de CASA que vive em Los Angeles, no final da II Guerra Mundial. Casada e com um filho chamado Richie, Laura começa a ler “Mrs. Dalloway” e a leitura torna-se tão reveladora que ameaça alterar de forma dramática a sua vida. Clarissa Vaughan (Meryl Streep), uma versão contemporânea da “Mrs. Dalloway” de Woolf, a quem os amigos tratam mesmo por Mrs. D., vive em Nova Iorque, nos anos 90. Richard (Ed Harris), amigo de toda a vida, poeta brilhante, está a morrer de Sida. PÚBLICO

 

 
 

Criado em iCagenda