O Cozinheiro, o Ladrão, a sua Mulher e o Amante Dela

Categoria
herético e libertário
Data
18-12-2019 15:00
Local
IPDJ - Faro
8000 - 408 Faro

Realização e Argumento: Peter Greenaway / Direcção de Fotografia: Sacha Vierny / Direcção Artística: Ben Van Os e Jan Roelfs / Cenários: Constance de Vos, Michel de Graafe e Wieger de Jong / Música: Michael Nyman, executada pela Michael Nyman Band / Guarda-Roupa: Jean-Paul Gaultier / Som: Chris Wyatt, Shirley Shaw, Michael Danks, Garth Marshall, Michael J. Dutton, Aad Wirtz, Ted Swanscott, Peter Maxwell e Nigel Heath / Montagem: John Wilson / Interpretação: Richard Bohringer (Richard Borst), Michael Gambon (Albert Spica), Helen Mirren (Georgina Spica), Alan Howard (Michael), Tim Roth (Mitchell), Ciaran Hinds (Cory), Gary Olsen (Spangler), Ewan Stewart (Harris), Roger Ashton Griffiths (Turpin), Ron Cook (Mews), Liz Smith (Grace), Emer Gillespie (Patrícia), Janet Henfrey (Alice), Amie Breevelt (Éden), Tony Alleff (Troy), Paul Russell (Pup), Alex Kingston (Adele), etc. / Origem: Reino Unido/ França / Holanda / Ano: 1989 / Duração: 119’ / Classificação etária: M/

Estreia em Portugal: Fórum Picoas e Quarteto, a 30 de Março de 1990

Comédia negra coproduzida pelo Reino Unido, França e Holanda em 1989, escrita e realizada por Peter Greenaway. O Cozinheiro, o Ladrão, a sua Mulher e o Amante Dela tem nos principais papéis Richard Bohringer, Michael Gambon, Helen Mirren, Alan Howard e Tim Roth.

O filme desenrola-se num restaurante francês de Londres chamado "Le Hollandais", cujo dono, o gangster Albert Spica (Michael Gambon), se banqueteia todas as noites acompanhado da sua mulher Georgina (Helen Mirren) e de outros convivas. Cansada do seu maçador e sádico marido, a mulher acaba por aí encontrar um amante (Alan Howard) com quem tem relações sexuais nos diferentes e menos confortáveis locais do restaurante com o beneplácito do cozinheiro (Richard Bohringer). Assim que o ladrão descobre que a mulher lhe é infiel nas suas barbas, enraivecido, ordena que os seus homens obriguem o amante a engolir um livro inteiro, página por página, até à morte. Este é o prelúdio para a cruel conclusão do filme sob o signo do canibalismo. Trata-se de um filme acentuadamente artístico cuja originalidade assenta no seu assombroso visual e encenação meticulosa de ideias grotescas. RTP

 

 
 

Criado em iCagenda