Tommaso

Ciclo do mês - Fevereiro 2020

DIA 18 (terça-feira) | 21h30 | IPDJ

TOMMASO, Abel Ferrara, IT/RU/EUA/GR, 2019, 115', M/14

trailer, sinopse e ficha técnica: aqui

Abel Ferrara atreve-se a dar-nos um olhar genuíno, ousado e raro sobre a condição masculina, num filme íntimo, à flor da pele. [...]
Dado prévio, com relativa relevância: Abel Ferrara, assim como o seu amigo e ator Willem Dafoe, mudou-se para Roma, onde vive com a sua jovem esposa, de quem tem uma filha ainda criança. Tommaso é filmado em Roma, fala-nos de um americano, de cerca de 60 anos, que recentemente foi pai e atravessa uma complexa crise conjugal. O papel principal é de Dafoe, a mulher e a filha são representadas pelas próprias mulher (Cristina Chiriac) e filha de Ferrara.
Há, portanto, logo aqui, e à partida, um jogo de espelhos com a realidade. Não sabemos até que ponto o filme serve de autorretrato, mas reconhecemos vários pormenores da vida pessoal de Ferrara na personagem de Tommaso. É essa estreita cumplicidade com o real que torna o filme tão rico e honesto, também pela coragem na temática que aborda: a condição masculina, a frustração de uma abstinência sexual pós-parto que se alastra durante os primeiros anos da criança.
Acompanhamos sempre Tommaso, pai dedicado, professor de técnicas de respiração para bailado, aluno de italiano, praticante de ioga. Contudo, percebemos também que tudo aquilo é como uma terapia temperamental, que esconde e evita o reacendimento de um passado obscuro. Ele é uma bomba-relógio.
Ferrara deixa que a câmara paire sobre os espaços, dando-nos um olhar subjetivo e vasto das cenas, como se realmente estivéssemos ali. Filma de forma primorosa as cenas de sedução e sexo, também com todo esse realismo descomprometido. E, perto do final, abre-se um campo alegórico numa dupla homenagem aos “cristos” de Scorsese (A Última Tentação de Cristo, também com Dafoe, de 1988) e Pasolini (O Evangelho Segundo São Mateus, de 1964), numa moral desviada para a autocomiseração. Pensando em Fellini e Rossellini, Tommaso é o Roma, de Ferrara , um dos seus grandes filmes. E Willem Dafoe é um ator enorme que não para de nos surpreender. 
Manuel Halpern, visão