O Pequeno Vampiro / The Little Vampire

animação para todos

Crítica

Uma das mais recentes estreias no grande ecrã, para os mais pequenos, é o filme “O Pequeno Vampiro“, uma comédia animada, repleta de aventuras, amizades improváveis e como o nome indica, vampiros.

O filme é baseado nas personagens dos romances da alemã, Angela Sommer-Bodenburg, criadas em 1979, com a saga de livros “O Pequeno Vampiro“. O livro e o filme contam-nos a história do pequeno Rudolph, um pequeno vampiro com 13 anos, que vive com o seu clã e que é ameaçado de morte por um caçador de vampiros de enorme sucesso. A dada altura, Rudolph separa-se da família e conhece Tony, um rapazinho mortal e humano, com a mesma idade, que é fascinado por várias coisas mórbidas, como castelos antigos, cemitérios e obviamente, vampiros. Assim, Tony decide juntar-se ao pequeno vampiro na sua luta contra os seus adversários e, ao mesmo tempo que tentam salvar a família de Rudolph, criam uma grande amizade entre ambos.

Começando pelo início, uma vez que o filme é uma adaptação a uma obra literária, que vendeu mais de 10 milhões de cópias por todo mundo e que foi traduzido para trinta línguas e que é apropriada para crianças e adolescentes, uma vez que tem muitas lições de moral ao longo da história.

Temos um filme de animação que passa a mensagem aos miúdos e graúdos do que é a amizade, de como os preconceitos são errados e de que ser diferente não é mau, muito pelo contrário. Desde logo, Rudolph e Tony são diferentes, um é mortal e o outro é imortal, um dorme de noite e o outro dorme de dia, no entanto, não é isso que os impede de serem amigos, a diferença entre ambos serve apenas para os aproximar ainda mais.

Quando as famílias descobrem que existem diferenças tão grandes entre ambos, surge o preconceito, que ambos os protagonistas põem de lado protegendo-se um ao outro e provando aos adultos o quão errados estão e como não se deve julgar um livro pela capa. Mostra-nos ainda, que é preciso cuidar dos nossos animais de estimação, com carinho e atenção.

É um filme de animação divertido e bem conseguido, deixando os mais novos e os mais velhos colados ao grande ecrã para ver o desenrolar da história, a formação de uma amizade, a união para atingir o mesmo fim independentemente das diferenças de cada um e ainda nos permite perceber quando alguém se está a aproveitar de nós e o quão importante é termos uma palavra firme a dizer para não deixarmos que o façam mais.

Ao longo do filme são várias as mensagens que os mais novos podem atingir sem dificuldade, é uma história simples e transmite vários sentimentos e estados de espirito que qualquer um pode perceber facilmente, tornando-o além de cómico e repleto de aventuras, uma lição de valores. É um filme que os mais miúdos e graúdos não devem perder.

Márcia Brilhante, 2017 CA Notícias

 

+ info: aqui