Que Fiz Eu Para Merecer Isto? / Qué He Hecho Yo Para Merecer Esto ?!!

 Reservas encerradas
 
0
Categoria
duplas: o autor e musa
Data
10-03-2019 15:00
Local
IPDJ - Faro
8000 - 408 Faro

Parceria: Sindicato dos Professores da Zona Sul

Título original: Qué He Hecho Yo para Merecer Esto?!!/ Realização e Argumento: Pedro Almodóvar / Diretor de fotografia (35 mm, cor): Ángel Luis Fernandez / Efeitos visuais fotográficos: José Maria López Saez / Efeitos especiais visuais: Francisco Prosper / Cenários: Pino Morales, Roman Arango / Figurinos: Cecília Roth / Música: Bernardo Bonezzi; as canções “La Bem Pagá”, de Perello & Mostazo, por Miguel de Molina; “Nur nicht aus Liebe weinen”, de Theo Mackeben, Hans Fritz Beckman, Wizner Boheme, por Zarah Leander / Montagem: José Solcedo / Som: Bernardo Menz / Interpretação: Cármen Maura (Gloria), Angel de Andrés López (Antonio), Juan Martinez (Toni), Miguel Angel Herranz (Miguel), Verónica Forqué (Cristal), Chus Lampreave (a avó), Kiti Manver (Juani, a vizinha costureira), Sonia Anabela Hilomann (Vanessa, a sua filha), Gonzalo Suárez (Lucas Villaba), Amparo Soler Leal (Patricia, a mulher de Lucas), Katia Liritz (Ingrid Müller), Javier Guruchaga (o dentista), Jaime Chavarri (o cliente que faz strip tease), Maria del Cármen Rives (a farmacêutica), Pedro Almodóvar (o cantor na televisão), Luciano Beriatua (um polícia), Luis Hostalot (Pólo), Carlitos (o lagarto Dinero). / Origem: Espanha / Ano: 1984 / Duração: 99’

Estreia mundial: 25 de Outubro de 1984 / Estreia em Portugal: Lisboa (cinema Quarteto), 16 de Fevereiro de 1990.

A quinta longa-metragem de Pedro Almodóvar fecha o que podemos considerar o primeiro período da sua obra: o da Espanha frenética da movida, com filmes pensados para o mercado interno. Com o êxito internacional, que surgiu logo a seguir, Almodóvar teria tendência a transformar num sistema o que fazia até então com espontaneidade. Em QUE HE HECHO YO PARA MERECER ESTO? (o realizador espanhol sempre teve muito humor na escolha de títulos) vemos uma daquelas famílias disfuncionais como só Almodóvar e John Waters, um dos seus mestres inconfessos, sabem mostrar. Um filme delirante e divertido. Cinemateca Portuguesa

+ info sobre o filme

+ info sobre a rubrica

 

 
 

Criado em iCagenda