64 anos de vida / em linha & em directo

Últimas


assista: aqui

 

Surpresa para miúdos & graúdos... Um espectáculo de música improvisada ao vivo e em direto.

Nesta comemoração dos 64 anos de atividade fazemos Homenagem aos nossos 3 honorários que nos deixam o legado da resistência antifascista e da luta pelos valores humanistas. Que lutaram ainda pelo acesso do público ao cinema enquanto arte e pelos direitos dos criadores.

Alberto Mendonça Neves e Morgado André no 25º Aniversário do Cineclube Abril 1981José da Luz e Maria de Lurdes Ruivo Setembro 2006 em casa de Mendonça Neves
à esquerda Alberto Mendonça Neves e Morgado André no 25º Aniversário do Cineclube (Abril 1981); à direita José da Luz e Maria de Lurdes Ruivo (Setembro 2006 em casa de Mendonça Neves). Imagens cedidas por Inácia Neves

Nestes tempos de distanciamento social sublinhamos a importância daqueles (os artistas) que dão forma e expressão à Arte.

CHARLIE MANCINI
charlie mancini imagem de sofia costaO músico Charlie Mancini pertence a um nova geração revivalista do cinema mudo. Proporciona uma experiência de excepção que leva o público ao período clássico do cinema, como se tratasse de uma viagem na máquina do tempo.  Os instrumentos usados passam pelo piano, teclados diversos, guitarra eléctrica e alguns elementos electrónicos. A música para sustentar as imagens em movimento é tocada e por vezes improvisada acompanhando a projecção e toda a ação e dinâmica dos filmes exibidos.
Charlie Mancini tem composto bandas sonoras desde 2005 para filmes independentes , sendo de destacar o seu trabalho no documentário “Mar de Sines”, de 2016, realizado por Diogo Vilhena, vencedor nesse ano do prémio de “Melhor Filme Etnográfico” no Festival Internacional do Filme Etnográfico do Recife, Brasil. Além do cinema criou a banda sonora e o design sonoro para a peça de teatro de rua “Insekto” a partir d’A Metamorfose da Franz Kafka. Fez também parte do júri na 16ª edição do FIKE - Festival Internacional de Curtas Metragens de Évora.
Charlie Mancini tem atuado em mais de cem sessões com o seu cine-concerto desde 2007, em países europeus, asiáticos e africanos criando música improvisada para filmes clássicos dos primórdios do cinema, abrangendo estilos tão diversos quanto a ficção-científica, surrealismo, animação e comédia, além do desenvolvimento de ateliers de sonorização de cinema com crianças e jovens em diversas localidades (Mini-Mancinis).
Em 2015 compôs a banda sonora original para o filme-documentário "Mar de Sines"; resultado de mais de cem entrevistas e 250 horas de gravações.
imagem de Sofia Costa


 
Bem-Vindos!